Advogar em outro País: Será que é possível?

Para AdvogadosPara EstudantesVale a pena dar uma olhada
Por 21 de novembro de 2018 Sem Comentários

Nos últimos anos, por causa da crise no Brasil, muitos profissionais começaram a se interessar em mudar de país, e não é diferente com os profissionais da área de direito. Só que sabemos que quando se trata de leis, cada país tem a sua, então a atuação em outros países se torna um pouco mais complicada. Apesar das diversas dificuldades, a atuação jurídica internacional é extremamente necessária pela troca de informações, então, entenda agora como advogar em outro país.

Como Advogar em Outro País

Advogar em outro país é possivel advogado correspondente jurídico doc9Primeiramente você precisa saber que alguns países são muito mais rigorosos com advogados estrangeiros, o Brasil é um deles, mas na lista também se incluem o México e a China. Então, caso queira advogar em algum destes países se prepare para diversos processos burocráticos e testes que podem demorar anos na pior das hipóteses. Para Brasileiros, a melhor maneira de advogar em outro país é usando Portugal como porta de entrada, afinal a OAB possui um convênio com a Ordem Portuguesa. Assim não precisando passar por estágios e testes para conseguir o registro tendo maior facilidade de advogar em outros países da união europeia.

Porém não é tão fácil quanto parece, antes de tudo você precisa de um “escritório padrinho” que esteja interessado em seus serviços, após isso é só entrar com o requerimento e esperar alguns meses para receber autorização. Após o advogado conseguir o registro em um país europeu, é permitido exercer a profissão em qualquer país da união europeia desde que fale fluentemente a língua do país, entenda o sistema jurídico e o sistema judiciário, o que vai exigir muito estudo do Advogado. Ainda com o registro, existem outras opções de países, como a Holanda, que exige a realização de uma prova, mesmo que você se encaixe em todos os critérios de exigência.

advogar em outro país é possívelÁsia e Oceania

Bom, estes dois continentes são um pouco mais complicados de atuar. Como advogar em outro país não é algo fácil, imagine o que seria mais difícil… advogar na Ásia e na Oceania. Os dois países mais difíceis, são a China, que já possui dificuldade com diversas áreas da globalização, tendo que ser totalmente dependente de um escritório local e a Índia, que não é difícil e sim impossível. A Índia proíbe a atuação de qualquer advogado estrangeiro, sendo ainda uma discussão forte dentro do país. A Austrália exige que o advogado tenha uma licença específica para atuar no país, cada estado possui suas próprias leis, como funciona a prática do direito e os requisitos para exercer a profissão, tornando o processo muito mais trabalhoso.

Advogar em outro país é possivel advogado correspondente jurídico doc9

Estados Unidos e Canadá

Esses são dois destinos mais procurados por Brasileiros que buscam oportunidades. Nos EUA existe a American Bar Association, uma instituição semelhante a OAB. É possível fazer o curso completo de direito americano e após isso realizar a prova da Bar, essa é a forma longa e complicada porém também é a que possui maior chance de sucesso e credibilidade. Outras duas maneiras possíveis e cursar um mestrado relacionado ao direito internacional e a outra maneira é que em alguns estados, como na Califórnia, é possível apenas realizar o exame da Bar e caso aprovado é possível advogar no estado.  No Canadá a atuação é um pouco mais simples, é necessário que o profissional curse disciplinas sobre direito canadense, realize um estágio no país e faça o exame de proficiência.

Advogar em outro país não é uma tarefa fácil de se iniciar, o importante é possuir a vontade de mudança e se preparar corretamente para advogar em outro país. Muitas vezes é um processo demorado que exige paciência, mas saiba que com persistência é possível chegar em qualquer lugar.

José Eduardo Oliveira

José Eduardo Oliveira

Bacharel em Produção Multimídia pelo Senac-RS em formação. Integra atualmente o nosso time de Marketing e é um dos responsáveis pela comunicação com a nossa Rede de Advogados Correspondentes. Trabalha com projetos de desenvolvimento da nossa Rede de Correspondentes, buscando soluções, melhorias e conteúdos que impactem a vida dos Advogados de uma forma positiva. Busca mesclar dicas de produtividade com a rotina corrida dos correspondentes jurídicos, para, então, criar processos e melhorias no fluxo de comunicação da nossa rede de profissionais.

Deixar um Comentário