GRC: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

imagem estilo "tech" com homem vendo dados

O GRC reúne três pilares de gestão para ajudar empresas a se manterem seguras, em conformidade e se destacarem diante do mercado.

Diante da competitividade do mercado, as empresas que se destacam são aquelas que têm seus objetivos de negócio bem definidos. Nesse contexto, uma gestão eficiente de GRC é essencial para negócios de todas as áreas.

A sigla GRC faz referência a três grandes esferas de gestão em um negócio: governança, riscos e compliance. A incorporação desses pilares tem como objetivo a otimização de controles, e a redução de conflitos e redundâncias na tomada de decisões.

Quando alinhadas, as boas práticas de GRC permitem que os gestores obtenham um diagnóstico do negócio que os ajudará a mitigar falhas e potencializar as oportunidades.

A metodologia GRC pode ser aplicada em negócios de todos os portes e utilizada como diferencial competitivo. Quer saber mais? Continue essa leitura e descubra o que é GRC, sua importância e vantagens, e como aplicar no seu negócio! Vamos lá?

O que é GRC?

Imagem: Freepik

A metodologia GRC é a responsável por integrar processos de Governança, Riscos e Compliance. Seu intuito é unificar a gestão dessas variáveis e garantir controle e processos uniformes, além de mitigar visões conflitantes em relação aos valores da empresa.

O principal intuito do GRC é garantir que todos os processos dentro de uma empresa estejam alinhados e funcionem conforme políticas e normas internas ou externas. Com isso, é possível ter uma visão macro do negócio e otimizar o processo de gestão para uma melhor tomada de decisão.

Cada conceito da sigla possui uma função importante na metodologia. Confira sobre o que cada uma trata:

Governance (Governança)

A primeira letra da sigla “G” diz respeito à governança. Este é um método de determinar de forma clara e prévia a divisão de responsabilidades, os métodos para tomada de decisão e os procedimentos e políticas em cada caso.

A governança corporativa traz mais transparência à maneira como os negócios são conduzidos. Dessa forma, a empresa conta com uma gestão profissional, alinhada com seus objetivos, e não fica refém dos interesses individuais de seus gestores.

Risk (Gestão de riscos)

O GRC também está relacionado à gestão de riscos empresariais. Nesse sentido, busca identificar elementos que possam impedir a empresa de atingir suas metas. O intuito é fazer a gestão se antecipar aos problemas por meio da criação de planos de ação estratégicos.

Com isso, é possível identificar elementos operacionais ou estratégicos que possam impactar no desempenho da empresa e criar planos de contingência para esses riscos. Os riscos empresariais se enquadram em cinco categorias básicas. São eles:

  • Risco de desempenho ou operacional – São falhas acidentais ou intencionais nas estruturas, pessoas, sistemas, produtos ou processos em qualquer nível das operações;
  • Risco de compliance – São violações às leis, códigos de conduta, regulamentos ou padrões de prática internos ou externos; 
  • Risco de TI – São falhas acidentais ou usos indevidos intencionais da TI, que geram perdas ou resultados empresariais negativos;
  • Risco financeiro – São as perdas de dinheiro em investimentos ou empreendimentos comerciais, o que inclui risco de crédito;
  • Risco à reputação – São falhas que influenciam negativamente a percepção pública do negócio. Este é um dos riscos com mais potencial de destruição para as empresas.

Compliance (ou Conformidade)

O compliance está relacionado à conformidade com as normas e legislações internas e externas. A gestão de compliance cria processos para assegurar que o negócio está seguindo boas práticas em todas as suas áreas de atuação.

Para isso, determina normas, condutas, diretrizes, interpreta mudanças, acompanha indicadores e acolhe denúncias. Este é um trabalho multidisciplinar, que envolve profissionais dos setores jurídico, técnico, recursos humanos, contabilidade e outros.

Saiba o que é RPA

Por que as empresas precisam de GRC?

imagem com fundo branco
Imagem: Freepik

Por meio do GRC, as empresas conseguem alinhar a gestão às prioridades estratégicas do negócio. Com isso, o trabalho se torna mais eficaz e a empresa evita gastos desnecessários, aumentando a qualidade de seus produtos ou serviços. 

Além disso, GRC unifica todas as áreas mais sensíveis para a reputação de um negócio. Hoje, as grandes empresas são aquelas que têm uma relação transparente com o mercado, explicitando o que fazem, como fazem e suas metas.  

O primeiro grande impacto da implementação de medidas de GRC é a redução dos danos potenciais causados por esses desfalques. Além disso, empresas que adotam práticas de GRC consistentes têm um valor de mercado superior.

Isso pode ser comprovado pela diferença entre os índices Ibovespa e Índice de Governança Corporativa — Novo Mercado (IGC-NM) da bolsa de valores brasileira (B3). A evolução dos índices nos últimos anos comprova que empresas listadas no IGC-NM têm cotação mais alta.

Como funciona na prática?

Da mesma forma que outras mudanças de processos gerenciais, a implantação do GRC demanda tempo. Porém, é importante documentar detalhadamente todos os processos, projetos e mudanças para analisar o progresso do negócio e tomar decisões com base em dados.

A aplicação do GRC é fundamental para garantir que um negócio seja bem-sucedido e sustentável. Ao integrar governança, riscos e conformidade, as empresas conseguem:

  • Aumentar sua segurança cibernética;
  • Trazer mais eficiência e responsabilidade para suas operações;
  • Ter base para a tomada de decisões estratégicas;
  • Mitigar custos;
  • Reduzir fraudes;
  • Aumentar a percepção de valor dos stakeholders.

Sem procedimentos, protocolos e normas de compliance bem estabelecidos, a empresa não cria uma cultura de transparência, ética e boas práticas de governança. Isso abre espaço para fraudes, desvios e diversos outros problemas.

Quais as vantagens do GRC?

Melhora na segurança cibernética

As ameaças virtuais representam um grande risco para os negócios, em especial quando se trata da proteção de dados pessoais. Por meio do GRC, é possível fortalecer sua segurança, colocando em prática as melhores medidas e controles de proteção.

Estão englobadas nessa estratégia ações como:

  • Criação de políticas de segurança da informação;
  • Treinamento de colaboradores;
  • Monitoramento de sistemas e redes;
  • Ações de contenção de crise e resposta a incidentes. 

A abordagem integrada de GRC permite que as empresas se protejam de ataques cibernéticos e reduzam o impacto de violações de segurança, caso ocorram.

Operações mais responsáveis

Empresas que adotam o GRC instituem práticas de negócios mais éticas e responsáveis: 

  • Por meio da governança, a gestão pode definir estruturas de tomada de decisão para promover a responsabilidade e a transparência em todos os níveis do negócio;
  • Por meio da gestão de riscos é possível identificar ameaças às quais o negócio está exposto e adotar medidas para mitigá-las;
  • Por meio da conformidade com as legislações e regulamentações, a gestão pode garantir a ética empresarial e evitar sanções legais.

Saiba quando renovar o seu certificado digital 

Tomada de decisões estratégicas

O GRC também é estratégico no levantamento de informações confiáveis e relevantes, que servem como base para a tomada de decisões:

  • Por meio da governança, a gestão pode determinar processos de tomada de decisão transparentes e claros, envolvendo os stakeholders mais estratégicos para cada caso;
  • Por meio da gestão de riscos, é possível identificar ameaças e oportunidades em diferentes projetos e ações;
  • Por meio da conformidade, é possível garantir que todas as decisões sejam tomadas respeitando os limites da legislação e regulamentações.

O GRC traz uma abordagem mais segura e informada para definir a estratégia do negócio.

Redução de custos

Implementar o GRC de forma eficaz pode gerar redução de custos operacionais e financeiros:

  • Por meio de uma governança eficiente, é possível aumentar a eficácia dos processos internos, além de evitar ineficiências e retrabalhos;
  • Por meio da gestão de riscos, é possível identificar ameaças que podem resultar em perdas de dinheiro;
  • Por meio da conformidade, é possível evitar penalidades e multas devido a violações das leis ou regulamentações.

Com menos riscos, perdas e custos, o negócio consegue melhorar sua saúde financeira e direcionar seus recursos para áreas estratégicas.

Menos fraudes

Implementar o GRC é uma maneira de fortalecer os controles internos do negócio e reduzir a ocorrência de fraudes. Isso porque ajuda na identificação de vulnerabilidades e na implementação de medidas preventivas para reduzir os riscos de fraudes.

Assim, é possível evitar, por exemplo, o acesso a informações confidenciais de forma indevida, desvio de verba ou manipulação de registros. Uma abordagem de GRC integrada permite que as empresas criem um ambiente de trabalho ético e transparente, com menos incidência de práticas fraudulentas.

Aumenta a percepção de valor do negócio

A implementação do GRC contribui para que investidores, clientes e parceiros aumentem sua percepção de valor quanto ao negócio. Dessa forma, empresas que revelam uma abordagem sólida quanto a esses pilares são vistas como éticas, responsáveis e confiáveis.

Isso fortalece a reputação do negócio e traz diversos resultados positivos, como: mais possibilidades de atrair investimentos, parcerias comerciais mais sólidas e fidelização da base de clientes. Ou seja, dá à empresa um significativo diferencial competitivo.

Insights Sobre GRC: Sua Importância Na Governança Corporativa

Como implementar o GRC na sua empresa?

pessoas analisando dados
Imagem: Freepik

A implementação do GRC da maneira correta requer uma abordagem bem planejada e estruturada. Confira os passos mais importantes para aplicar o GRC em sua empresa:

Analise a situação atual

Avalie os processos, políticas e controles já existentes relacionados a governança, riscos e conformidade de maneira abrangente. Busque identificar lacunas e oportunidades de melhoria.

Crie uma estrutura de GRC

Determine uma estrutura clara para o GRC em sua empresa: atribua responsabilidades, autoridade e papéis. Também busque criar um comitê de GRC ou designar um responsável pela gestão do GRC.

Identifique os riscos

Faça uma análise de riscos detalhada, buscando identificar as ameaças às quais o negócio está exposto. Também avalie a probabilidade e o possível impacto de cada risco para criar uma escala de priorização.

Determine políticas e procedimentos

Estabeleça procedimentos e políticas com o intuito de orientar as práticas de governança, riscos e conformidade. Eles devem ser claros, comunicados de forma efetiva e estar alinhados aos objetivos da empresa.

Implemente controles internos

Defina controles internos para reduzir os riscos identificados. Para isso, você pode contar com controles tecnológicos, por exemplo, sistemas de segurança da informação, e controles operacionais, por exemplo, a segregação de funções e revisões periódicas.

Acompanhe e meça os resultados

É fundamental determinar um sistema de monitoramento e avaliação de desempenho contínuo do GRC em sua empresa. Para isso, conte com auditorias internas, coleta e análise de métricas revisões periódicas da eficácia do sistema GRC.

Como o Whom pode ajudar nessa implementação?

Para implementar a metodologia GRC em sua empresa, é necessário rever processos e ações que possam expor o negócio a riscos. Por exemplo, muitos escritórios de advocacia e departamentos jurídicos têm o hábito de compartilhar o certificado digital do dono ou gestor responsável com os outros colaboradores da equipe.

Porém, este é um risco enorme, já que quem tem acesso ao documento pode acessar os mais variados sistemas. Além disso, é possível realizar ações como fazer a transferência de titularidade de um veículo, por exemplo. 

Essa é uma prática muito comum. Contudo, ela coloca em risco a segurança do documento e, consequentemente, das transações realizadas por meio dele. 

Nesse contexto, o Whom é uma ferramenta tecnológica usada para conferir segurança ao compartilhamento de certificados digitais por meio de funcionalidades como:

  • Assinatura digital de termo de consentimento de uso por quem concede e por quem recebe as permissões de acesso; 
  • Avisos de tentativas de utilização indevida do certificado;
  • Adequação a órgãos regulamentadores, garantindo validade jurídica no compartilhamento do certificado;
  • Tokens individuais e criptografados como chave de acesso segura.

O Whom é uma importante ferramenta para garantir a conformidade no uso de certificados digitais e aumentar a segurança dos dados em seu negócio.

Conheça o Whom e conte com essa ferramenta para implementar o GRC em seu negócio!

Conclusão

Uma estratégia de negócios com base em GRC é fundamental para todas as empresas que querem se destacar no mercado e se manter em conformidade com as legislações e regulamentações internas e externas.

Sua implementação parte do princípio de que os riscos são inevitáveis, porém existem ferramentas que podem ser usadas para mitigá-los. Uma dessas ferramentas é o Whom, que pode tornar o compartilhamento de certificados digitais em seu negócio seguro.

Continue acompanhando nosso blog e conheça outras metodologias de segurança e compliance para seu negócio!

Compartilhe:

Faça seu cadastro


Fale com um especialista

Entre em contato conosco preenchendo o formulário.