Skip to main content
Institucional

Perda de prazo processual em escritórios de advocacia: quais as consequências e como evitar?

Por 25 de abril de 2022maio 2nd, 2022No Comments

A perda de prazo processual pode trazer sérias consequências ao advogado, como o dever de pagamento de indenização aos clientes, e a possibilidade de sofrer sanções administrativas disciplinares na Ordem dos Advogados do Brasil. 

Hoje em dia, existem várias maneiras de acompanhar prazos processuais para facilitar a rotina dos profissionais do Direito. Porém, para se manter em dia e não correr o risco de perdê-los, é preciso adotar ferramentas eficazes de gestão advocatícia.

A perda de prazos permanece como um dos receios dos profissionais da área, especialmente quando o número de processos começa a aumentar. A boa notícia é que há ferramentas que te ajudam a se organizar para não perder mais nenhum prazo.

No texto de hoje, você confere quais são as consequências da perda de prazos processuais e dicas para que isso não aconteça com você. Boa leitura!

Consequências de atrasos e a perda do prazo processual

As consequências da perda de prazo processual pelo advogado dependem da natureza, dos efeitos e do objeto do tal prazo. Por exemplo, perder o prazo de uma contestação pode implicar na revelia do réu e na presunção da veracidade dos fatos alegados pela parte autora da ação. Ou seja, aumenta a probabilidade do réu perder a ação.

Por outro lado, a perda do prazo de alegações finais pode não ter tanto impacto no processo. Isso porque, de modo geral, nesta etapa as argumentações e provas já foram produzidas.

De qualquer maneira, os atrasos podem trazer sérias consequências aos processos. Confira as principais:

Preclusão 

Quando um prazo processual é perdido, uma das partes do processo deixa de ter o direito de se manifestar naquele momento. Esse incidente processual é chamado de preclusão temporal.

Esse recurso tem a função de obrigar as duas partes do processo a demonstrarem que se interessam e se comprometem a se manifestar quando for oportuno. Dessa maneira, é possível evitar que a demanda se torne eterna ou morosa.

Neste contexto, a parte que não cumprir os prazos estabelecidos pelo juiz ou pela Lei pode ser punida com a preclusão. Além da perda de prazo para manifestação, a preclusão pode acontecer em duas situações: 

  1. Quando a parte se manifesta de forma incompatível com o momento do processo;
  2. Quando a parte tenta se manifestar novamente sobre um assunto já tratado.

Reputação

Além da preclusão, que pode levar à perda do processo, a perda de prazo processual pelo advogado pode manchar a reputação do profissional. Isso porque sua negligência pode trazer consequências irreparáveis para o cliente.

O profissional deve sempre ter em mente que os interesses do cliente estão em jogo, e estes podem ter um papel significativo na vida dos interessados. Por isso, é essencial que os advogados tomem atitudes para minimizar erros e evitar consequências negativas à sua imagem profissional.

Má reputação ao perder o prazo processual

Pagamento de indenização

Como já dissemos, os impactos da perda de um prazo processual variam de acordo com a ação e com o momento. Porém, há casos em que a pena para o advogado que perde o prazo é indenizar o cliente de acordo com as consequências desse atraso.

Essa questão envolve a responsabilidade civil do profissional da causa e a perda de uma chance. O art. 927 do Código Civil determina que quem causar dano a outra pessoa por ato ilícito (citado nos arts. 186 e 187) fica obrigado a indenizá-la.

A negligência com o prazo processual pode ser vista como um ato ilícito, de acordo com o art. 186 do Código Civil. Assim, quando o advogado perde um prazo, entende-se que ele não está prestando o serviço com zelo e gerando um dano ao cliente.

Assim, por causa da atitude do advogado, o cliente pode perder a chance de ser bem sucedido no processo. O advogado, então, teria que reparar os danos nos casos em que sua atitude torne inviável o alcance do resultado esperado e a conquista de um benefício.

Por fim, de acordo com o artigo 34 da Lei nº 8906/94, dependendo do caso, as perdas de prazos podem ser passíveis da pena de censura em processos disciplinares na OAB. Isso se dá pela inteligência dos incisos XXIV e IX, que preveem como infração disciplinar tanto a “incidência em erros reiterados que evidenciem inépcia processual”  como “prejudicar, por culpa grave, interesse confiado ao seu patrocínio”. 

Dicas para evitar a perda de prazo processual

É claro que nenhum profissional perde um prazo porque quer. Normalmente, esse atraso está relacionado com a sobrecarga dos profissionais e com a gestão do escritório. Isso porque o dia a dia na advocacia engloba diversos processos, intimações, atividades administrativas, atendimentos e muitos outros.

Assim, para otimizar o tempo e ter mais segurança no controle de prazos, é preciso investir na organização do escritório. Existem diversas planilhas jurídicas e softwares de gestão que podem te ajudar nesse processo. Confira outras dicas para evitar atrasos processuais:

Planejamento operacional

O planejamento operacional envolve a estratégia para a execução das ações e metas traçadas pelo escritório. Deve-se desenvolver processos, métodos e sistemas para serem adotados em todos os níveis do escritório para um acompanhamento da rotina.

Assim, é possível garantir que todas as operações e tarefas sejam executadas de acordo com os procedimentos determinados. Para isso, é preciso definir planos detalhados, especificando cada profissional envolvido, suas funções e responsabilidades.

Softwares jurídicos podem ajudar a fazer a divisão de tarefas e tornar o planejamento operacional bem sucedido.

Metodologia ágil no jurídico

A metodologia ágil pode ser usada para incentivar que os colaboradores participem da tomada de decisão. Assim, a subordinação e a hierarquia podem ser reduzidas nos escritórios e departamentos jurídicos.

A ideia é descentralizar a tomada de decisões, permitindo que a equipe de advogados possa gerir seus próprios prazos, processos e tarefas com liberdade. Assim, o gestor pode se afastar do operacional e se dedicar ao planejamento estratégico do negócio.

Enxugar processos

Outro ponto importante é analisar os processos internos necessários para a realização do trabalho jurídico e dividi-los em duas categorias:

  1. Tarefas que agregam valor ao cliente;
  2. Tarefas que não agregam valor ao cliente, que são consideradas como desperdício.

O objetivo principal é eliminar os desperdícios e focar nas tarefas que agregam valor ao cliente. Assim, é possível otimizar custos, aumentar a qualidade e serviços oferecidos ao cliente. Para isso, é importante tomar as seguintes atitudes:

  • Mapear processos – comece mapeando as tarefas, etapas, responsáveis envolvidos, além de materiais e o tempo demandado em sua execução;
  • Padronizar processos – esse é o momento de identificar falhas e oportunidades de melhoria. Após definir as melhores práticas com a equipe, é necessário criar um documento para que as tarefas sejam feitas de acordo com as diretrizes estabelecidas. Criar padrões operacionais, listas de verificação, formulários e outros irá trazer suporte às tarefas da equipe e reduzir os erros;
  • Eliminar desperdícios – após identificar todas as questões que fazem com que se perca tempo, dinheiro e se desperdice materiais no escritório, tome ações para acabar com elas;
  • Desenvolver e valorizar os funcionários – não é necessário cortar funcionários para diminuir os custos. É necessário desenvolver processos junto com a equipe e parceiros e permitir que eles atuem em seu aprimoramento para criar valor ao cliente. Essa também é uma forma de motivar e aumentar a produtividade da equipe;
  • Melhorar os processos continuamente – é preciso concentrar esforços na identificação da raiz dos problemas e das etapas nas quais ocorrem falhas nos processos para evitar que aconteçam novamente;
  • Adotar tecnologias para reduzir custos e aumentar a eficiência – A tecnologia é uma ótima aliada dos processos enxutos, já que ajuda a aumentar a eficiência, otimizar o tempo, diminuir desperdícios e entregar mais valor ao cliente. Ao automatizar tarefas, é possível reduzir as burocracias e gerar diferenciais competitivos para o escritório.

Como a Logística jurídica pode ajudar a evitar a perda de prazo processual

Também é possível otimizar a gestão dos escritórios por meio da logística jurídica. Essa ferramenta, que se baseia na estratégia do negócio, pode ser usada para otimizar o trabalho e o orçamento de departamentos jurídicos e escritórios.

Assim, determinadas tarefas do dia a dia são terceirizadas para correspondentes jurídicos com o objetivo de otimizar os processos internos. Entre as tarefas estão: protocolos de petições, realização de audiências, retiradas de documentos e alvarás, e outras diligências.

A Doc9 é uma empresa de logística jurídica que possui a solução ideal para aumentar a produtividade e controlar o orçamento do seu negócio. Assim, é possível direcionar seus colaboradores para tarefas estratégicas, que agregam valor ao seu negócio.

logística jurídica como tecnologia

Seguro responsabilidade civil

Além disso, a Doc9 possui um seguro de responsabilidade civil para proteger nossos clientes em casos de erros cometidos por parceiros correspondentes DOC9. Ou seja, em caso de perda de prazo processual, a Doc9 garante que os parceiros e seus clientes não saiam no prejuízo.

Conclusão

A perda de prazo processual pelo advogado é um erro que pode ser evitado por meio da adoção de ferramentas de gestão. Uma das principais ferramentas é a logística jurídica, usada para terceirizar tarefas burocráticas e direcionar os esforços para atividades mais estratégicas.

Você já perdeu algum prazo processual? Compartilhe nossas dicas para que isso não aconteça com seus colegas!

DOC9

DOC9

Somos uma empresa que realiza o controle e a gestão de diligências jurídicas através do repasse para advogados correspondentes qualificados através de processos de seleção e treinamento. Operamos em todo o território nacional, concentrando todas as diligências jurídicas em um único sistema: o sistema DOC9. Nossas diligências passam por um fluxo de controle e conferência, através de passos de auditoria estabelecidos e padronizados.