Metodologia Kanban

GestãoPara Escritórios

Neste post sobre 7 aplicativos de organização pessoal, mencionamos um método de organização criado pelos japoneses da Toyota na década de 60 e, nesse post, vamos detalhar mais sobre qual a história e do que se trata esse esquema extremamente popular.

Toyota, Aichi

Em meados da década de 1960, a Toyota passava por um momento crítico: faltavam recursos para a produção de seus automóveis. Até então, o modelo mais utilizado pela indústria automobilística era produzir os carros em massa, gerando uma quantidade muito alta de estoque. Isto é pouco eficiente, pois significa uma quantidade de produtos que custaram recursos à empresa para serem feitos, mas não correspondiam à demanda do mercado.

Não podendo mais se dar ao luxo de utilizar este modelo, a Toyota precisou buscar outra forma de gestão, e aí surgiu o JIT – Just in Time, ou, numa tradução livre, “Bem à Tempo”. Este modelo determina que tudo deve ser produzido apenas segundo a demanda, buscando evitar desperdício de não apenas recursos, mas também tempo.

metodologia-kanban

Inspirado no método de organização de supermercados, que substitui as mercadorias em falta nas prateleiras conforme elas são vendidas, o kanban (que significa “tabuleiro” em japonês) tradicionalmente utiliza-se de cartões para indicar a acompanhar, de maneira visual e rápida o andamento dos fluxos na empresa.

Equilíbrio nos Processos

De forma geral, o método de organização kanban significa que haverá um equilíbrio constante entre todos os processos: o processo anterior não pode produzir mais peças que serão consumidas pelo processo posterior, assim como o posterior não pode consumir mais que será produzido pelo anterior, por exemplo. Ao invés de o estoque comandar a produção, a produção comanda o estoque. Além disso, os processos num sistema de produção kanban se tornam muito mais ágeis. As causas para isso são, além do equilíbrio entre as etapas, a eliminação de diversas burocracias ao longo do processo.

É importante notar que, em determinados tipos de produção, não é possível não ter estoques, às vezes por causa do fornecedor, das necessidades do cliente, natureza inerente dos processos, ou simplesmente uma série de fatores combinados. Apesar disso, no mundo de hoje, em que a eficiência é cada vez mais necessária para se sobressair num mercado extremamente competitivo, poupar recursos e obter os mesmos resultados é sempre uma boa alternativa.


Leia também:


qualidade e facilidade

José Eduardo Oliveira

José Eduardo Oliveira

Bacharel em Produção Multimídia pelo Senac-RS em formação. Integra atualmente o nosso time de Marketing e é um dos responsáveis pela comunicação com a nossa Rede de Advogados Correspondentes. Trabalha com projetos de desenvolvimento da nossa Rede de Correspondentes, buscando soluções, melhorias e conteúdos que impactem a vida dos Advogados de uma forma positiva. Busca mesclar dicas de produtividade com a rotina corrida dos correspondentes jurídicos, para, então, criar processos e melhorias no fluxo de comunicação da nossa rede de profissionais.

Deixar um Comentário